Notícia

Governo de Arcos lança pedra fundamental do novo Centro de Acolhimento Institucional

'Quebra de preconceito’ foi consensual entre todos os oradores do evento. É intenção convocar a sociedade para conhecer de fato o serviço de acolhimento


Compartilhe:

   O Governo de Arcos, em parceria com a Promotoria da Vara da Infância e Juventude realizou na manhã desta quinta-feira, 06, o lançamento da Pedra Fundamental de construção do novo Centro de Acolhimento Institucional ‘Doutora Ana Lúcia Rodrigues Costa’. O evento contou com a presença de autoridades, servidores públicos, empresários, sociedade civil e representantes de instituições filantrópicas do município.

 

   Um momento muito importante para as crianças e adolescentes em situação de risco social e pessoal, que foram afastados de suas famílias como medida judicial de proteção. Com a demanda crescente de situações de vulnerabilidade, ao longo dos anos foram identificadas pelas gestões municipais e o Ministério Público de Minas Gerais a necessidade de ofertar uma estrutura compatível para o bem-estar do público infanto-juvenil, principalmente referente às questões estruturais.

 

   Atualmente, a instituição funciona como uma casa de acolhimento temporário e excepcional, que busca ofertar a moradia provisória com máxima semelhança de uma rotina familiar. Os acolhidos dispõem de educadores sociais em período integral, que se preocupam, para além de suas atribuições, promover a socialização e o desenvolvimento saudável da criança e do adolescente.

 

   O Governo de Arcos, além de arcar com os custos da obra, doou o terreno para a construção da nova sede, e apresentou o projeto arquitetônico, seguindo as normas técnicas de engenharia - que consiste na construção de alas independentes e comunitárias, que favorecem a integração dos acolhidos, preservando suas individualidades, divisão por gênero e idade, além de contar com espaços de convivência e acompanhamento técnico e psicossocial.

 

   A Administração Municipal já reservou no orçamento do município os recursos para a concretização da obra, que ficará pronta ainda este ano, segundo palavras de Otávio Miranda. O Governo ainda estuda angariar mais recursos, através do FIA - Fundo para Infância e Adolescência.

 

O novo Centro

 

   O projeto foi mostrado em telão para todos os presentes. O novo prédio vai contar com alas feminina e masculina, com dormitórios que também irão comportar espaços de recreação e estudo, além de uma ala infantil com berçário. As áreas de construção em comum dispõem de cozinha,  lavanderia e horta comunitária. Anexo aos prédios, será construído o ambiente administrativo e técnico.

 

Pronunciamentos

 

   Presentes no evento, a Promotora da Vara da Infância e Juventude, Drª Juliana Amaral de Mendonça Vieira, e a Drª Juíza da Primeira Vara, Juliana Goulart, foram uníssonas ao dizer do preconceito que cerca a construção desta importante obra e com seus abrigados. “É preciso quebrar esse preconceito. As crianças do Centro de Acolhimento não são infratoras, são vítimas, e precisam de cuidados. Convocamos toda a sociedade para conhecer de perto a realidade do abrigo, e temos certeza de que mudarão de opinião”, concordaram.

 

   A classe política que teve oportunidade de fala (a citar o prefeito Denilson Teixeira; o vice, Halph Carvalho; o presidente do Legislativo, Rodrigo Pfister; o Secretário de Integração Social, e o Otávio de Miranda) - citou, principalmente, os esforços e empenho do município nesse projeto. Lembraram das lutas de Ana Lucia Rodrigues Costa e Maria da Glória Veloso no social da cidade de Arcos. E deixaram bem claro que, o diálogo produz conquistas importantes para a comunidade.

 

   O cerimonial, ainda contou com a participação do Capitão da PM, César Henrique Bitencourt; da depoente Márcia Berto; da arquiteta Cristiane  Vilela; e engenheiro civil, Sávio Ribeiro.

 

    Ao final da solenidade, foi plantado no local uma muda de ipê, que na visão dos organizadores simboliza a força dos jovens adolescentes do Centro de Acolhimento de Arcos.

 

O ipê - Analogia

 

   Sem nenhuma folha, com estresse e medo de falecer faz com que uma árvore de nome Ipê floresça em pleno inverno, para isto, ela precisa buscar forças por entender que este seu estresse é um sinal de que seu fim está próximo, como resposta, simplesmente, o Ipê floresce.

 

   A nossa força tem que vir de todos os lados, mesmo se o inverno estiver frio e seco… É bom lembrar que existe uma frase mágica que nos ajuda SEMPRE: “O pensamento cria, o desejo atrai e a fé realiza“.

COMENTÁRIOS

Veja outras notícias