Notícia

Arcos 14 Janeiro 2020

Biometria alcançou apenas 27% do eleitorado arcoense

No Brasil já foram 78% do eleitorado. Previsão é que todos os eleitores do país sejam identificados pelas digitais até 2022


Compartilhe:

Foto: TSE

A identificação do eleitor arcoense por meio das impressões digitais atingiu apenas 27%, de acordo com informações do Cartório Eleitoral Municipal. Na contramão do país, que já alcançou 78,08% do eleitorado, Arcos segue com a sua implantação gradual. Segundo informações disponíveis na página da Biometria do Portal da Justiça Eleitoral, até o momento, 13 unidades da Federação já fizeram a revisão biométrica de mais de 99% de seus eleitores. São elas: Acre, Alagoas, Amapá, Distrito Federal, Goiás, Pará, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Sergipe e Tocantins.

 

Vale lembrar que o prazo para o cadastramento biométrico é 2022. Os eleitores podem fazer o cadastro da biometria diretamente nos cartórios eleitorais, de forma ordinária. Caso contrário, poderão ter o título cancelado.

 

Mais segurança na hora de votar

 

O voto eletrônico é realidade no Brasil desde 2000, quando todos os brasileiros escolheram seus representantes municipais por meio da urna eletrônica. No entanto, naquela época, verificou-se que em um procedimento eleitoral ainda havia a intervenção humana: a identificação do eleitor. Isso porque, nesse momento, o mesário recebe os documentos do votante, verifica os seus dados, digita o número na urna eletrônica, e, se aquele título fizer parte daquela seção e o eleitor não tiver votado ainda, a urna é liberada pelo mesário para que o eleitor vote.

 

Com a adoção da identificação biométrica, o processo de votação praticamente excluiu a possibilidade de intervenção humana, pois, agora, a urna somente é liberada para votação quando o leitor biométrico identifica as impressões digitais daquele eleitor (é feito um batimento das digitais lidas com as armazenadas no banco de dados da Justiça Eleitoral). A biometria garante cadastro único, uma vez que cada indivíduo tem impressões digitais exclusivas. Dessa forma, não é possível uma pessoa se passar por outra no momento da votação.

 

Confira mais informações sobre os próximos passos da biometria e os dados atualizados no Portal da Justiça Eleitoral ou no Portal do TSE.

COMENTÁRIOS

Veja outras notícias