• 16/07/2024
10 Junho 2024 às 12h54
Autor: Vanessa Rosa

Desencarne Coletivo na Visão Espírita

A perda de entes queridos é sofrida em todas as regiões do planeta Terra, todos os dias, por diferentes motivos, fazendo com que corações sofram com a partida desses que tanto amamos.

Quando ocorre o desencarne coletivo, o qual se caracteriza pela morte de várias pessoas em um mesmo evento, como, por exemplo, guerras e fenômenos naturais, isso faz com que comecemos a ter inúmeros questionamentos: Por quê ocorreu? Por quê com aquelas pessoas? Por quê naquele local? Teria mesmo que acontecer? Entre outras...

Para que possamos entender o contexto acerca desta temática, é oportuno que façamos alguns esclarecimentos. A doutrina espírita nos ensina que o desencarne é a morte do corpo físico, e neste momento o espírito se separa da matéria e retorna ao plano espiritual. Quando lá estamos, temos melhor consciência da nossa responsabilidade, assim entendendo quais são nossos débitos e qual a forma mais adequada a quitá-los.

O desencarne em massa, ocorre por motivo cármico, ou seja, se dá em grupos de espíritos que possuem débitos semelhantes de reencarnações anteriores.

Em O Livro dos Espíritos encontramos a seguinte pergunta:

Com que fim fere Deus a Humanidade por meio de flagelos destruidores?

Para fazê-la progredir mais depressa. Já não dissemos ser a destruição uma necessidade para a regeneração moral dos Espíritos, que, em cada nova existência, sobem um degrau na escala do aperfeiçoamento?

Preciso é que se veja o objetivo, para que os resultados possam ser apreciados. Somente do vosso ponto de vista pessoal os apreciais; daí vem que os qualificais de flagelos, por efeito do prejuízo que vos causam.

Essas subversões, porém, são frequentemente necessárias para que mais pronto se dê o advento de uma melhor ordem de coisas e para que se realize em alguns anos o que teria exigido muitos séculos. (1)

Mais adiante, nesta mesma obra da Codificação Espírita, Kardec questiona e a espiritualidade nos esclarece:

Não serão flagelos, igualmente, provas morais para o homem, por porem-no a braços com as mais aflitivas necessidades?

Os flagelos são provas que dão ao homem ocasião de exercitar a sua inteligência, de demonstrar sua paciência e resignação ante a vontade de Deus e que lhe oferecem ensejo de manifestar seus sentimentos de abnegação, de desinteresse e de amor ao próximo, se o não domina o egoísmo. (2)

Na mensagem "Desencarnações Coletivas", no livro Chico Xavier pede licença, o benfeitor espiritual Emmanuel esclarece outros motivos para as mortes que se verificam coletivamente. Diz ele:
 

Invasores ilaqueados pela própria ambição, que esmagávamos coletividades na volúpia do saque, tornamos a Terra com encargos diferentes, mas em regime de encontro marcado para a desencarnação conjunta em acidentes públicos.
Exploradores da comunidade, quando lhe exauríamos as forças em proveito pessoal, pedimos a volta ao corpo denso para facearmos unidos o ápice de epidemias arrasadoras.
Promotores de guerras manejadas para assalto e crueldade pela megalomania do ouro e do poder, em nos fortalecendo para a regeneração, pleiteamos o Plano Físico a fim de sofrermos a morte de partilha, aparentemente imerecida, em acontecimentos de sangue e lágrimas.
Corsários que ateávamos fogo a embarcações e cidades na conquista de presas fáceis, em nos observando no Além com os problemas da culpa, solicitamos o retorno à Terra para a desencarnação coletiva em dolorosos incêndios, inexplicáveis sem a reencarnação. (3)

No decorrer da história da humanidade, pudemos presenciar e ter relatos de diversas mortes coletivas, gerando grande comoção. Recentemente presenciamos em nosso país, a tragédia das enchentes no estado do Rio Grande do Sul, onde nossos irmãos, que ainda se encontram em situação difícil, buscam um novo recomeço.

Em 17 de dezembro de 1961, na cidade de Niterói/RJ, ocorreu uma tragédia em um circo, conforme relata o Espírito Humberto de Campos, pelo médium Chico Xavier, no livro Cartas e crônicas:

A justiça da lei, através da reencarnação, reaproximou os responsáveis em diversas posições da idade física para a dolorosa expiação. Os que morreram no século XX no circo de Niterói foram os mesmos que, no ano 177 de nossa era, queimaram cerca de mil crianças e mulheres cristãs na arena de um circo na Gália, região da França, na época do Império Romano.(4)

          É importante entendermos que mesmo diante do caos, Deus mantém o controle de tudo, obedecendo uma ordem e que tudo segue conforme a Sua vontade.       Diante essas situações não existem acasos, mesmo que isso nos cause uma certa negação, inconformidade, existe sempre todo um contexto espiritual por trás de todo acontecimento.

          Desejo a você, querido leitor, uma excelente semana!

Abraço fraterno!

Vanessa Rosa

([email protected])

Centro Espírita Bezerra de Menezes

Rua Olegário Rabelo, nº 455, Bairro Brasília, Arcos/MG

Reuniões Públicas às terças feiras às 20hs e às quintas feiras às 19:30hs.

Aos sábados: Evangelização infantil e Escola de pais às 09:30hs; às 17h Campanha do        Quilo    e às 18:30hs Mocidade espírita.

 

Referências:

 

KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos. Questão 737. Ed. FEB.

2 KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos. Questão 740. Ed. FEB.

3 XAVIER, F.C. Chico Xavier pede licença. Desencarnações Coletivas.Ed.GEEM.

4 XAVIER, F.C. Cartas e Crônicas. Ed. FEB.

Fonte da imagem: Disponível em https://pixabay.com/pt/photos/hungria-sapato-guerra- mundial-3726906/

                   

 

         

         

         

Colunista
CENTRO ESPÍRITA BEZERRA DE MENEZES

Rua Olegário Rabelo, nº 455, Bairro Brasília, Arcos/MG

VEJA TAMBÉM

Você está com problemas no amor, trabalho, faculdade ou com a sogra?

Infelizmente não podemos te ajudar com isso, mas podemos te ajudar a esquecer essas coisas enquanto você treina.

17h33 11 Julho 2024