• 25/05/2024
22 Maio 2023 às 13h12

Animais de um ponto de vista espiritual

Os animais são seres de uma pureza sem igual, com o dom de cativar as pessoas com o seu jeitinho único e incondicional de amar e demonstrar carinho.

 

Criados pelo nosso Pai, são como irmãos mais novos, no qual devemos guiar, cuidar, amar, respeitar, amparar e auxiliar na sua evolução, afinal eles também progridem, pela força da natureza.

 

Eles possuem alma, e sua forma de evolução, é através de algumas vivências, como por exemplo um aluno que vai a escola e precisa aprender um conteúdo para conseguir executar a atividade proposta, isso porque eles não possuem o livre-arbítrio, não sendo necessário passar por expiações, como nós.

 

Antes dos animais reencarnarem, os espíritos superiores responsáveis pelo planejamento reencarnatório, fazem toda sua programação, incluindo o lar e as pessoas, lugares nos quais vai interagir. Quando desencarnam, diferente de nós humanos, eles não precisam ficar por muito tempo na erraticidade.

 

Segundos relatos da história entre o nosso saudoso Chico Xavier e sua cadelinha Boneca, o espírito de um animal pode voltar para o mesmo meio familiar:

 

Chico Xavier tinha uma cachorra de nome Boneca, que sempre esperava por ele, fazendo grande festa ao avistá-lo. Pulava em seu colo, lambia-lhe o rosto como se o beijasse.

 

  O Chico então dizia:

 

  – Ah Boneca, estou com muitas pulgas!!!! Imediatamente ela começava a coçar o peito dele com o focinho. Boneca morreu velha e doente. Chico sentiu muito a sua partida. Envolveu-a no mais belo xale que ganhara e enterrou-a no fundo do quintal, não sem antes derramar muitas lágrimas.

 

  Um casal de amigos, que a tudo assistiu, na primeira visita de Chico a São Paulo, ofertou-lhe uma cachorrinha idêntica à sua saudosa Boneca. A filhotinha, muito nova ainda, estava envolta num cobertor, e os presentes a pegavam no colo, sem, contudo, desalinhá-la de sua manta. A cachorrinha recebia afagos de cada um. A conversa corria quando Chico entrou na sala e alguém colocou em seus braços a pequena cachorra. Ela, sentindo-se no colo de Chico, começou a se agitar e a lambê-lo.

 

  – Ah Boneca, estou cheio de pulgas!!! Disse Chico.

 

  A filhotinha começou então a coçar-lhe as pulgas, e parte dos presentes, que conheceram a Boneca, exclamaram:

 

  – Chico, a Boneca está aqui, é a Boneca, Chico!! Emocionados perguntamos como isso poderia acontecer. Chico respondeu:

 

  – Quando nós amamos o nosso animal e dedicamos a ele sentimentos sinceros, ao partir, os espíritos amigos o trazem de volta para que não sintamos sua falta. É, Boneca está aqui, sim, e ela está ensinando a esta filhota os hábitos que me eram agradáveis. Nós seres humanos, estamos na natureza para auxiliar o progresso dos animais, na mesma proporção que os anjos estão para nos auxiliar. Por isso, quem maltrata um animal vai contra as leis de Deus, porque Suas leis são as leis da preservação da natureza. E, com certeza, quem chuta ou maltrata um animal é alguém que ainda não aprendeu a amar. (1)

 

            A ciência também aponta mudanças comportamentais e emocionais na interação homem e animal. Em torno de 40 anos atrás na Inglaterra e na França, notaram que crianças com alguma deficiência e dificuldade de relacionamento, quando levados a parques, onde entravam em contato com os animais, percebiam que eles ficavam mais calmos e demonstravam emoções ao sorrirem, dando origem ao tratamento de zooterapia. Porém, após longos estudos e observações, notaram que os animais que participavam desses tratamentos entravam em momentos de depressão, tristeza, além de desencarnarem mais cedo, pois absorviam muito o sofrimento da pessoa que estava em tratamento, com seu auxílio. Com a evolução dos estudos, já se tem um maior cuidado para com esses animais, para que eles vivam mais e com qualidade e ainda assim consigam ajudar.

 

            Alguns autores espíritas fazem referência a respeito da mediunidade dos animais, o que chamamos de percepção do mundo espiritual, podendo ver espíritos, ouvir e até mesmo interagir com eles.

 

            Outro ponto importante relacionado ao tema é sobre a ingestão de carne, e para melhor elucidar esta questão nos embasamos em O Livro do Espíritos, onde a espiritualidade tão bem nos esclarece, ao ser indagado por Allan Kardec:

 

- A alimentação animal é, com relação ao homem, contrária à lei da Natureza?

 

Dada a vossa constituição física, a carne alimenta a carne, do contrário o homem perece. A lei de conservação lhe prescreve, como um dever, que mantenha suas forças e sua saúde, para cumprir a lei do trabalho. Ele, pois, tem que se alimentar conforme o reclame a sua organização.

 

- Que pensar da destruição que ultrapassa os limites das necessidades e da segurança? Da caça, por exemplo, quando não tem por objetivo senão o prazer de destruir sem utilidade?

 

Predominância da bestialidade sobre a natureza espiritual. Toda destruição que ultrapasse os limites da necessidade é uma violação da Lei de Deus. (...) (2)

 

            Caso tenham interesse em aprofundar seus estudos acerca deste assunto, sugerimos algumas obras:

 

  • O evangelho dos animais (Sandra Denise Calado ditado por Equipe espiritual da Asseama)
  • A questão espiritual dos animais (Irvênia L. S. Prada)
  • Alimentação e Evolução Espiritual (Edson Ramos de Siqueira)
  • Todos os animais merecem o céu (Marcel Benedeti)
  • Os animais tem alma? (Ernesto Bozzano)
  •  

Assim, finalizamos com essa linda mensagem de reflexão, intitulada A lição do cachorro (3):

 

Sendo um veterinário, fui chamado para examinar um cão de 13 anos de idade chamado Batuta. A família esperava por um milagre.

 Examinei Batuta e descobri que ele estava morrendo de câncer e que eu não poderia fazer nada...

 

 Batuta foi cercado pela família. O menino, Pedro, parecia tão calmo, acariciando o cão pela última vez, e eu me perguntava se ele entendia o que estava acontecendo. Em poucos minutos, Batuta caiu pacificamente dormindo para nunca mais acordar.

 

 O garotinho parecia aceitar sem dificuldade. Ouvi a mãe se perguntando, por que a vida dos cães é mais curta do que a dos seres humanos?...

 

 Pedro disse: "Eu sei por quê."

 

 A explicação do menino mudou minha maneira de ver a vida.

 

 Ele disse:

 

 ''A gente vem ao mundo para aprender a viver uma boa vida, como amar aos outros o tempo todo e ser boa pessoa, né?! Como os cães já nascem sabendo fazer tudo isso, eles não têm que viver por tanto tempo como nós.'' Entendeu?

 *O moral da história é:*

 Se um cão fosse seu professor, você aprenderia coisas como:

 Quando teus entes queridos chegarem em casa, sempre corra para cumprimentá-los.

 Nunca deixe passar uma oportunidade de ir passear.

 Permita que a experiência do ar fresco e do vento no seu rosto seja de puro êxtase!

 Tire cochilos.

 Alongue-se antes de se levantar.

 Corra, salte e brinque diariamente.

 Melhore a sua atenção e deixe as pessoas te tocarem.

 Evite "morder" quando apenas um "rosnado" seria suficiente.

 Em um clima muito quente, beba muita água e deite-se na sombra de uma árvore frondosa.

 Quando você estiver feliz, dance movendo todo o seu corpo.

 Delicie-se com a simples alegria de uma longa caminhada.

 Seja fiel.

 Nunca pretenda ser algo que não é.

 Se o que você quer, está "enterrado"... cave até encontrar.

 E nunca se esqueça:

 "Quando alguém tiver num mal dia, fique em silêncio, sente-se próximo e suavemente faça-o sentir que você está ali..

           

Luz e paz a todos!

Vanessa Rosa

([email protected])

 

 

Centro Espírita Bezerra de Menezes

Rua Olegário Rabelo, nº 455, Bairro Brasília, Arcos/MG

Reuniões Públicas às terças feiras às 20hs e às quintas feiras às 19:30hs.

Aos sábados: Evangelização infantil e Escola de pais às 09:30hs; às 17h Campanha do Quilo e às 18:30hs Mocidade espírita.

 

Referências:

  1. https://portalmundomaior.com.br/artigo/alma-dos-animais-segundo-chico-xavier
  2. Allan Kardec, O Livro dos Espíritos, questão 723 e 735
  3. https://www.auaucare.com.br/loja/noticia.php?loja=719253&id=1

Fonte da imagem: Disponível em https://pixabay.com/pt/users/garten-gg-201217/?utm_source=link-attribution&utm_medium=referral&utm_campaign=image&utm_content=2222007           

 

 

 

 

 

Colunista
CENTRO ESPÍRITA BEZERRA DE MENEZES

Rua Olegário Rabelo, nº 455, Bairro Brasília, Arcos/MG

VEJA TAMBÉM