• 11/08/2022
31 Maio 2022 às 11h30
Fonte de Informação: Da Redação - Cecília Calixto

CAPS: diretora fala sobre os trabalhos de acolhimento, voltados para melhorar a qualidade de vida dos usuários

“Buscamos proporcionar um acolhimento humanizado, atendendo às necessidades dos nossos usuários, acolhendo-os e validando seus sentimentos”.

Nunca foi tão importante falar sobre saúde mental como nos últimos anos. Viemos em um momento em que as pessoas estão sobrecarregadas, ansiosas e deprimidas, e por isso, a busca por tratamento e por uma orientação profissional se tornou indispensável.

É aí que entra os serviços dos Centros de Atenção Psicossocial (Caps), que atendem não apenas casos moderados de saúde mental, mas também casos mais graves, de pessoas com sofrimento psíquico ou transtorno mental. O papel do CAPS é o de promover, a partir da prestação de serviços de saúde mental e de acompanhamento social, o desenvolvimento da autonomia e da cidadania dos usuários, reintegrando-os a vida social e a convivência familiar.

Para falar mais sobre a importância desses serviços e sobre os trabalhos que são desenvolvidos no município, a reportagem do Portal Arcos entrevistou a diretora do CAPS em arcos, Amanda Arantes Franco.

 

Trabalhos do CAPS em Arcos

A diretora Amanda iniciou dizendo que atualmente o CAPS conta com 7.714 usuários cadastrados, entre eles apenas 1.772, aproximadamente, estão ativos. O Centro também conta com 16 profissionais, entre: médicos, psiquiatras, psicólogos, terapeuta, farmacêutico, enfermeira e técnica de enfermagem, assistente social, recepcionista e serviços gerais.

Ela também falou sobre como são realizados os trabalhos no CAPS em Arcos: “São realizadas buscas ativas de casos novos e antigos por meio de visita domiciliar; acolhimento de novos casos e antigos; atendimentos psicológicos individuais; atendimentos psiquiátricos; oficinas terapêuticas diversas oferecidas pela terapeuta ocupacional; atendimentos de assistência social e de enfermagem; administração dos medicamentos; atendimentos de familiares; e atividades externas à instituição, como passeios e atividades na comunidade”.

 

Atendimento durante a pandemia

Perguntamos a diretora como foram os atendimentos durante a pandemia de Covid-19 e se houve aumento no número de novos pacientes. Ela contou que durante a pandemia os atendimentos presenciais foram suspensos, porém, eles não deixaram de amparar os usuários.

“Fizemos teleconsultas e visitas domiciliares aos usuários da permanência dia, na qual levávamos apostila de atividades. Não demorou muito, pois, percebemos a importância do nosso trabalho para a população arcoense e com isso, retomamos os atendimentos presenciais, seguindo os protocolos de segurança”, explicou.

Na enfermagem, foi mantida a organização dos medicamentos para facilitar a adesão ao tratamento medicamentoso e foi feita a entrega em domicílio para os usuários e realizadas consultas de enfermagem. Os atendimentos psicológicos foram feitos por telefone e, posteriormente, foi retomado de forma presencial. A farmácia continuou aberta, os atendimentos psiquiátricos continuaram de forma presencial e a terapia ocupacional fez, inicialmente, visitas domiciliares com a entrega de apostilas de atividades. Atualmente, a terapia ocupacional já está sendo realizada presencialmente, com número reduzido de usuários para evitar aglomeração.

Com relação ao aumento do número de novos usuários durante a pandemia, ela disse que ao longo do tempo sempre há aumento de novos usuários no CAPS, mas, não é possível dizer se esse aumento foi decorrente da pandemia da Covid-19.

“Não é possível mensurar se o aumento é decorrente ou não da pandemia, pois o adoecimento mental pode ser multifatorial. Não podemos negar que a COVID pode sim ter contribuído, mas, não é possível mensurar se é causa exclusiva do aumento de casos. E sim, sempre é preocupante o adoecimento mental da população, seja decorrente ou não da pandemia”, explicou.

 

“Buscamos proporcionar um acolhimento humanizado, atendendo às necessidades dos nossos usuários, acolhendo-os e validando seus sentimentos” – Amanda Arantes Franco

Amanda comentou que os profissionais do CAPS em Arcos estão sempre se capacitando para prestar o melhor serviço aos usuários. Ela contou que, recentemente os profissionais participaram de uma supervisão clínica institucional com o médico psiquiatra Cândido Moreira.

Segundo ela, o intuito dos profissionais é sempre poder prestar o melhor acolhimento: “Buscamos proporcionar um acolhimento humanizado, atendendo às necessidades dos nossos usuários, acolhendo-os e validando seus sentimentos, proporcionando assim, melhora da qualidade de vida”.

Amanda também comentou que, mesmo não tendo sede própria, recentemente o município investiu no imobiliário do CAPS e fez a pintura do local, e ofertou mais materiais necessários para o bom funcionamento dos serviços.

 

Como ser atendido no CAPS?

Ao final da entrevista Amanda explicou que, para ser atendido no CAPS o usuário tem que apresentar um encaminhamento médico, que pode ser fornecido no Posto de Saúde da Família (PSF).

“Após obter o encaminhamento ele deve procurar o CAPS e levar este encaminhamento, identidade e cartão do SUS, qualquer dia da semana de 8h30 às 10h30 para acolhimento. Após o acolhimento é definido o projeto terapêutico do usuário”.

 

O Centros de Atenção Psicossocial (Caps) em Arcos fica localizado na Avenida Nossa Senhora do Carmo, nº 207, bairro Santo Antônio. Para mais informações é só entrar em contato pelo número (37) 3351-6366

 

 

VEJA TAMBÉM

Alegria x Felicidade

13h26 08 Agosto 2022