Notícia

Pluralidade dos mundos habitados


Compartilhe:

Tema que intriga a humanidade desde os tempos remotos, a pergunta que fazemos é: estamos sozinhos no Universo?

 

Quem nunca parou para refletir no tema ao contemplar o céu em uma noite estrelada? A imensidão de estrelas, constelações, planetas e galáxias existentes no Universo, teria alguma razão especial para somente o planeta Terra abrigar vida “inteligente”?

 

Os povos das civilizações antigas já tinham especial fascínio acerca da contemplação dos céus, especialmente os egípcios, os astecas e os maias, que nos deixaram como legado as construções das respectivas pirâmides em seus países, que são símbolo da contemplação do Universo.

 

No Evangelho de João, o mestre Jesus nos traz a seguinte passagem: “Que vosso coração não se turbe. Crede em Deus, crede também em mim. Há muitas moradas na casa de meu Pai; se assim não fosse, eu já vos teria dito, porque eu me vou para vos preparar o lugar e depois que eu tenha ido e que tenha preparado o lugar, eu voltarei e vos retomarei para mim, a fim de que lá onde eu estiver aí estejais também”. [1]

 

Analisando a passagem acima, Kardec nos diz que “a casa do Pai é o Universo; as diferentes moradas são os mundos que circulam no espaço infinito e oferecem, aos Espíritos encarnados, moradas apropriadas ao seu adiantamento”. 2

 

Na questão 55 de ‘O Livro dos Espíritos’, Kardec questiona aos Espíritos se todos os globos que circulam no espaço são habitados, tendo obtido como resposta que sim, todos os globos são habitados e o homem da Terra está longe de ser, como crê, o primeiro em inteligência, em bondade e perfeição. 3

 

Complementa Kardec que “Deus povoou os mundos de seres vivos, concorrendo todos ao objetivo final da Providência. Acreditar que os seres vivos estão limitados ao único ponto que habitamos no Universo, seria pôr em dúvida a sabedoria de Deus, que não fez nada de inútil; ele deve ter determinado para esses mundos um fim mais sério que o de recrear nossa visão. Nada, aliás, nem na posição, no volume ou na constituição física da Terra, pode razoavelmente fazer supor que só ela tenha o privilégio de ser habitada, com exclusão de tantos milhares de mundos semelhantes”. 4

 

Certamente Deus não criou os diferentes planetas, estrelas e astros somente para embelezar o céu para os habitantes do planeta Terra contemplar. Chegará o tempo em que já estaremos preparados para o intercâmbio com os irmãos habitantes de outros planetas, todos contribuindo para a harmonia do Universo, seguindo os desígnios do Pai.

 

Everton Luciano Santos Silva -  evertonls10@yahoo.com.br

 

CENTRO ESPÍRITA BEZERRA DE MENEZES

Rua Olegário Rabelo, nº 455, Bairro Brasília, Arcos/MG

 

[1] João, cap.XIV, v. 1,2,3

[2] Kardec, Allan. O Evangelho Segundo o Espiritismo.9ª ed. IDE, 2008, pág.37.

[3] Kardec, Allan. O Livro dos Espíritos, 8ª ed. IDE, 2009, questão 55, pág. 47

[4] Kardec, Allan, O Livro dos Espíritos, 8ª ed. IDE,2009, pág. 47  

 

Imagem de Free-Photos por Pixabay

 


CENTRO ESPÍRITA BEZERRA DE MENEZES

Rua Olegário Rabelo, nº 455, Bairro Brasília, Arcos/MG

COMENTÁRIOS