Notícia

Alerta urgente: para preservar vidas, adote a máscara!

Artigo de Caroline Zeine Fakhouri Martins, jornalista e diretora da Zeine Comunicação


Compartilhe:

Foto: Caroline Zeine Fakhouri Martins

Como ser pensante que sou, não posso deixar de expressar minha revolta e decepção quando vejo, em Arcos, muitas pessoas nas ruas sem máscara. Além disso, é ruim também notar que alguns indivíduos usam a máscara de forma incorreta, deixando o nariz à mostra (seria rebeldia ou falta de informação? Não entendo!).

 

Pois bem, sabemos que o comportamento das pessoas é muito determinante no curso da pandemia. Ainda mais quando levamos em conta que a vacinação em massa - nossa luz no fim do túnel - segue a passos de tartaruga. Inclusive, a Organização Mundial da Saúde (OMS) já sinalizou que a imunização de rebanho pela vacinação não deverá ser atingida em 2021.

 

Neste cenário, o desrespeito a medidas de isolamento social e a recusa ao uso de máscaras só aumenta a tensão. É fato: a doença chegou nas nossas casas. Na minha família e também nos familiares dos meus amigos e conhecidos.

 

Por isso agora, mais do que nunca, é preciso que todos entendam a importância de evitar que a doença bata à sua porta. E no meu caso tenho bastante propriedade para falar disso. Recentemente, meu irmão, um rapaz saudável de 29 anos, sem comorbidades, esteve entubado na UTI com Covid, em um quadro grave, segundo disseram os médicos. Hoje ele se encontra em casa, recuperado, mas foram mais de dez dias de pura aflição. Imaginem como fiquei! Logo eu, ainda fragilizada pela morte do meu pai (por um infarto fulminante), estive com os nervos à flor da pele a cada instante. Nesse sentido, sei que a todo momento famílias em Arcos e por todo o Brasil compartilham dessa angústia com seus parentes queridos internados. Isso quando a notícia que chega não é a mais devastadora de todas – o óbito do familiar.

 

Com tudo isso, é urgente recordar: precisamos usar máscara em todos os ambientes. Não só para preservar nossa vida, mas também para ajudar os hospitais de todo o Brasil, que estão à um fio do catastrófico colapso. Vejam só que dado positivo: o uso do acessório reduz as chances de infecção por coronavírus em até 87%, aponta um estudo desenvolvido por pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), da Universidade das Ciências da Saúde (UFCSPA), da Unisinos e da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde da Capital (SMS). 

 

Portanto, esta é a atitude individual mais eficiente para reduzir o contágio e diminuir o impacto no sistema de saúde. O Brasil já registra mais de 11 milhões de infectados e mais de 275 mil óbitos e a perspectiva é que estes números sigam desenfreados ao longo desta segunda onda de contaminação.

 

Não dá para brincar gente! Aliás, em pandemia, isso nunca foi possível. Mas agora tudo está muito pior. O momento requer mais cautela.

 

Ou seja, apenas ficar em casa não é suficiente. Junto com o distanciamento social e a ausência de aglomerações, seja na rua ou em casa, o uso da máscara é essencial. Tenha, por favor, este acessório como seu melhor amigo. Por você e pela coletividade.


Caroline Zeine Fakhouri

Jornalista e diretora da Zeine Comunicação

 

@zeinecomunicacao

COMENTÁRIOS