• 21/04/2024
25 Março 2024 às 11h02

Como superar as perturbações espirituais?

Na língua portuguesa encontramos o seguinte conceito para a palavra perturbar, como ato ou efeito de perturba-se/estado de quem sofreu algum distúrbio (físico, emocional, etc.) ou se encontra perturbado. Modernamente chamamos de obsessão, segundo a doutrina espírita.

 

Na obra espírita O Evangelho Segundo o Espiritismo e no evangelho do Cristo, encontramos inúmeras passagens que nos comprovam que desde a época de Jesus já existia os casos de obsessão. Nessa passagem em Marcos 1:23-27 podemos constatar:

 

E estava na sinagoga deles um homem com um espírito imundo, o qual exclamou,²⁴ Dizendo: Ah! que temos contigo, Jesus Nazareno? Vieste destruir-nos? Bem sei quem és: o Santo de Deus.²⁵ E repreendeu-o Jesus, dizendo: Cala-te, e sai dele.²⁶ Então o espírito imundo, convulsionando-o, e clamando com grande voz, saiu dele.²⁷ E todos se admiraram, a ponto de perguntarem entre si, dizendo: Que é isto? Que nova doutrina é esta? Pois com autoridade ordena aos espíritos imundos, e eles lhe obedecem!

 

Quando nessa passagem eles se referem a “espírito imundo”, nada mais é que os espíritos inferiores que se encontram na erraticidade. Naquele tempo, até mesmo os discípulos de Jesus encontravam dificuldades em combater essas obsessões sem o auxílio do Mestre.

 

            Desta forma, eis que o Consolador prometido vem para nos auxiliar, instruir e remediar, pois isso nada mais é que nossas “enfermidades da alma” e para nos mostrar também que o mal não permanecerá para sempre.

 

            Allan Kardec em O Livro dos Médiuns, destina um capítulo para estudar o fenômeno chamado Obsessões, que ele conceitua da seguinte maneira:

 

É (...) “a ação persistente ou domínio que alguns Espíritos logram adquirir sobre certas pessoas. É praticada pelos Espíritos Inferiores, que procuram dominar, pois os Espíritos bons não impõem nenhum constrangimento. (...) (1)

 

            E quem são obsessor e obsediado?

 

Emanuel nos esclarece (qual bibliografia?) que obsessor, quer dizer “aquele que importuna”, é quase sempre, alguém que nos participou a convivência profunda no caminho do erro, a voltar-se contra nós quando estejamos procurando a retificação necessária. Já o obsediado “é o algoz de ontem e que agora se apresenta como vítima. Ou então é o comparsa de crimes, que o cúmplice das sombras não quer perder, tudo fazendo por cerceá-lo em sua trajetória.”

 

Uma das principais causas da obsessão é nossa imperfeição moral, pois é em nossos pontos fracos, em nossas mazelas da alma que os espíritos sempre vão nos atingir. Aquilo que eu já conquistei de bom não mais é utilizado contra nós, mas aquilo que ainda não domino ainda pode me afetar.

 

Podemos sofrer influências internas que são nossa culpa, medo, procrastinações, por exemplo. E as influências externas que podemos sofrer em nosso lar, trabalho e sociedade. É importante entendermos que é necessário encontrar nosso equilíbrio interno para que assim as influências externas não mais nos atinjam e aflijam.

 

Vejamos que existem três graus de obsessões, segundo classificações de O Livro dos Médiuns:

 

Obsessão Simples: Ação importuna e desagradável, em que um Espírito se agarra à pessoa com tenacidade, causando mal-estar generalizado.

 

Fascinação: Ilusão produzida pela ação direta do Espírito sobre o pensamento do obsediado (ideias fixas, imagens hipnotizantes, mágoas, fantasias, etc.). Nessa situação, o obsessor é ardiloso e hipócrita, simulando falsa virtude. Consequências graves.

 

Subjugação: É uma opressão que paralisa a vontade daquele que sofre, e o faz agir malgrado. A pessoa está sobre um verdadeiro jugo. Podendo ser moral e corpórea.

No primeiro caso - constrangimento: tomar decisões muitas vezes absurdas e comprometedoras que, por uma espécie de ilusão, ele julga sensatas (espécie de fascinação). No segundo caso, o Espírito atua sobre os órgãos materiais e provoca movimentos involuntários.  (2)

 

            Temos também os tipos de obsessão que podem ocorrer, que são de:

 

Encarnado para Encarnado: um esposo que exerce submissão sob a esposa.

Encarnado para Desencarnado: Que é quando temos um sentimento de apego, de não se conformar com o desencarne do ente querido, e faz com ele fique ligado a pessoa causando danos aos dois.

 

Desencarnado para Desencarnado: Quando muitas vezes no plano espiritual usam palavras, xingamentos causando tortura mental.

 

Desencarnado para Encarnado: Quando o espírito se liga ao encarnado para ter prazer/sensações por exemplo quando o encarnado faz uso de álcool, drogas, sexo de maneira desregrada.

 

Recíproca- Simbiose: É quando um se alimenta da energia do outro, e pode acontecer em qualquer um dos casos acima.

 

Auto Obsessão: É quando alimento sentimentos de inferioridade, vitimismo, doenças.

 

Perturbação após o Desencarne: Todos nós passaremos por ele. A perturbação que se segue a separação entre a alma e o corpo, pelo fenômeno da morte, é variável de individuo para individuo, em grau e tempo de duração. Tudo depende da evolução de cada um. (3)

 

            Além de classificar todas as formas de perturbações espirituais, a doutrina espírita também nos ensina que podemos superar e combater a obsessão através do processo desobsessivo e prevenção, que nada mais é que nossa mudança íntima e comportamental para rumos nobres e construtivos, disciplina das emoções e pensamentos.

 

            Em O Livro dos Médiuns, (onde?) Allan Kardec descreve que esse processo ocorre de acordo com os tipos de graus da obsessão:

 

Na Simples, a mudança do modo de pensar do obsediado. Nos casos mais avançados (fascinação e subjugação) deve-se associar à terapêutica médica e psicológica, a oração, o passe, o estudo, o trabalho no bem... terapia psicológica e tratamento médico. (Evelyn Freire) qual bibliografia?

 

            Além destas terapêuticas acima mencionadas, também faz-se importante e indispensável, seguir alguns passos para alcançarmos o nosso equilíbrio, sendo eles o nosso autoconhecimento, reforma íntima, aprender a amar e perdoar, oração e vigilância, trabalho no bem/caridade e boa vontade em querer se melhorar.

 

Portanto, a prevenção e cura de enfermidades espirituais exige renovação do panorama mental em que a criatura humana se compraz.

 

Para tanto, é preciso trabalhar a própria vontade, a fim de colher bons resultados.

 

Aliada à prece, a vontade é força consciente que impulsiona o Espírito para a sua transformação íntima, liberando-o das faixas de influências negativas. (Evelyn Freire) qual referência?

 

            Querido leitor, desejo a você uma semana abençoada!

 

Abraço fraterno!

Vanessa Rosa

([email protected])

 

Centro Espírita Bezerra de Menezes

Rua Olegário Rabelo, nº 455, Bairro Brasília, Arcos/MG

Reuniões Públicas às terças feiras às 20hs e às quintas feiras às 19:30hs.

Aos sábados: Evangelização infantil e Escola de pais às 09:30hs; às 17h Campanha do            Quilo    e às 18:30hs Mocidade espírita.

 

 

 

Referências:

1 LM cp.23, item 27

 

2 O Livro dos Médiuns- Cap. 23. Item 237-241

3 O Livro dos Espíritos – Perguntas 163 a 165

Evangelho Segundo Espiritismo

Bíblia Online – Marcos 1:23-27

Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita Esde3-Tomo único – Aula 23: 3- DESOBESESSÃO

Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita Esde3-Tomo único – Aula 21 : Obsessão: causas, graus e tipos Processo obsessivo

Livro Obsessão/Desobsessão – Suely Caldas Schubert

 

Colunista
CENTRO ESPÍRITA BEZERRA DE MENEZES

Rua Olegário Rabelo, nº 455, Bairro Brasília, Arcos/MG

VEJA TAMBÉM

Oito dos nove vereadores mudam de partido antes das eleições municipais

Com o fim da janela partidária, aberta entre os dias 7 de março e 5 de abril deste ano, oito dos nove vereadores de Arcos trocaram de partido político. A única exceção é a vereadora Kátia Mateus, que se mantém no PL.

15h36 18 Abril 2024