• 21/07/2024
25 Dezembro 2023 às 18h42
Fonte de Informação: Da Redação: Nicole Patrícia

Como é vivenciado o Natal em diferentes religiões

O Portal Arcos falou com representantes de três religiões para contar um pouco de como é o Natal em cada uma delas de acordo com suas visões e daquilo que vivenciam em suas comunidades

Desde que nascemos observamos os preparativos para uma grande festa, que já começam no início do mês de dezembro. Diferentes crenças, religiões e até princípios pessoais longe dos templos e casas de orações se preparam para o nascimento do menino Jesus.

No Catolicismo

Padre Antônio José de Simone, 61, explica que para a Igreja Católica Natal significa o nascimento de Jesus. Apesar do significado, não se sabe a data correta para esse dia: “Isso porque no tempo de Jesus os pais não se preocupavam em marcar data de nascimento dos filhos”, explica.

O padre fala que além de incentivar as famílias a estarem unidas, as celebrações da igreja são litúrgicas, com cantos especiais, missas, encenação. Cita a “Missa do Galo”, assim chamada em países latinos, pois segundo a crença, do dia 24 para 25, às 00:00h, um galo cantara fortemente para anunciar o nascimento de Cristo.

Para o padre Antônio o Natal se tornou uma comemoração majoritariamente comercial. Ele explica ainda que o símbolo do Natal para a Igreja Católica é o presépio, não a árvore. “O sentido do Natal de forma civil, profana e comercial tem sido bem mais intenso que o verdadeiro. Há a troca de presentes, árvore de Natal, Papai Noel inspirado em São Nicolau que dava presentes aos mais pobres”, ressalta.

Padre Antônio já atuou no município de Arcos. Há um ano atua como pároco da Paróquia São João Bosco em Santo Antônio do Monte.

 

Os evangélicos

Pastor Ademir D. Camargos, 61, líder do Conselho de Pastores da cidade de Arcos, explica que o Natal representa o nascimento de Jesus e o Seu renascimento no coração do pecador. Ele fala ainda que, na medida do possível, campanhas são realizadas não só neste período, mas durante o ano todo.

Segundo ele, em sua religião não é comemorado o Natal. Mas os fiéis aproveitam o momento para estar com a família, orando e agradecendo.

Pastor Ademir atua na comunidade há 39 anos. Venceu a Covid 19 em junho de 2021 após passar 45 dias no hospital. Hoje ele comenta brevemente sobre a importância de sua fé: “eu não tinha dúvidas da misericórdia de Deus, mas naquele momento mais ainda, pude sentir as mãos de Deus o tempo todo cuidando de mim. O seu amor, misericórdia excede todo entendimento humano. Deus é bom o tempo todo, só gratidão”, exclama.

 Ele fala também sobre o amor ao próximo e a constância da fé: “é preciso viver os mandamentos da palavra de Deus todos os dias. Amar a Deus sobre todas as coisas e ao teu próximo como a ti mesmo”, finaliza.

 

No Espiritismo

Como Membro do Colegiado Diretor do Centro Espírita Bezerra de Menezes e exercendo a função de Tesoureiro, Ivaldo Alves da Silva Junior, 51, explica que não tem uma comemoração específica para a data. Buscam estar junto a família, em estado de prece e união, para assim alcançar uma conexão mais íntima com Deus.

“O Natal é um momento de reflexão e de celebrar o amor do Divino Mestre Jesus por todos nós, onde a caridade e a vivência de seus ensinamentos deve ser o nosso maior compromisso, aliada à nossa renovação íntima”, explica.

Ivaldo conta que não são promovidos eventos ou festividades: “O que costumamos fazer nesta época é desenvolver durante o mês estudos e reflexões mais profundas sobre Jesus, com o objetivo de sensibilizar a todos quanto a presença Dele entre nós e de seus preciosos ensinamentos que nos conduzirão a verdadeira felicidade... àquela que a traça e a ferrugem não corroem, e que os ladrões não escavam e não podem roubar”.

Ele fala ainda sobre as campanhas que sempre fazem, como arrecadação de cestas básicas e brinquedos a serem doados a quem deles precisa.

Ivaldo comenta a disparidade, a seu ver, entre o que se tornou o Natal e ao que representa Jesus: “O Natal na atualidade é voltado muito ao consumismo, enquanto Jesus que é o nosso maior modelo, encarnou rodeado de extrema simplicidade e nela desencarnou. Deixando simplesmente seu maior patrimônio, que são seus exemplos e ensinamentos. O fato é que o seu legado é tão extraordinário e superior, que não é ao acaso que nossa história passou a ser dividida em antes e depois de Cristo”, discorre.

 

 

A origem do Natal

O Natal é uma festa cristã que celebra o nascimento de Jesus Cristo. Várias fontes de pesquisa indicam que a data de nascimento de Jesus não é 25 de dezembro. O fato é que não há nenhuma referência bíblica quanto a data e que historiadores não chegaram ao número exato deste evento.

Este dia em específico foi escolhido pelo Papa Julio I. Mas na data já era oficialmente comemorado o solstício de inverno no hemisfério norte, momento em que o sol tem mais tempo para iluminar o planeta. O que daria a chance de uma nova safra e boa colheita. Essa seria uma oportunidade de cristianizar a data em que se comemorava uma festa considerada pagã.  

Desde os primórdios esta data vem se adequando ao novo, numa mistura de crença e comércio, perdendo muito do sentido cristão.

É importante lembrarmos que Jesus, em sua caminhada na Terra, não pregou nenhuma religião. Em determinada passagem bíblica, no livro de Mateus, Ele se revolta no templo utilizado para comércio e exploração.

Por isso é preciso que se respeite a fé de cada um e/ou o local onde cada um se sente conectado com Deus. Usar desta época para reflexão, união e tentar levar durante todo o ano este espírito de irmandade em que somos imersos nesta época do ano.

 

Curiosidades

Como mencionado pelo Padre Antônio, São Nicolau foi a inspiração de criação do Papai Noel. Nicolau foi um Bispo que perdeu os pais ainda na adolescência e passou a morar com o tio sacerdote. Foi um jovem rico por consequência da herança de seus pais que tinham muitas posses. Costumava ajudar a todos secretamente e quando descoberto pedia segredo, demonstrando desinteresse por atenção ou agradecimento e pedindo apenas agradecimento a Deus. (fonte: Formação Canção Nova).

De acordo com informações divulgadas pela Rádio Canção Nova, o primeiro presépio do mundo foi criado na Itália, numa gruta na cidade de Greccio, em 1223 por São Francisco de Assis. A intenção era que as pessoas compreendessem melhor o nascimento de Jesus.

Com a ajuda do amigo Giovanni que preparou o local, São Francisco celebrou o Natal do Senhor entre o boi e o jumento para demonstrar a simplicidade do local que Jesus escolheu nascer.

VEJA TAMBÉM

FENAR deixa empena e mural de presente para Arcos

O Festival Nacional de Arte de Rua promove obras de artes ao ar livre em suas edições e moradores ganham pinturas no prédio da Prefeitura e em muro de hospital.

09h56 17 Julho 2024