• 17/06/2024
27 Setembro 2022 às 20h26

EM DEFESA DA VIDA, SUICÍDIO NÃO!

Você continuará a viver depois da morte. SUICÍDIO É ILUSÃO!

Federação Espírita Brasileira - FEB                                                                             

            Faz-se necessário retomarmos este assunto de prevenção ao suicídio – em referência a este mês de setembro Amarelo – e sempre dialogarmos sobre este tema, pois vivemos um momento histórico em que casos de suicídio vem aumentando consideravelmente em todas as partes do mundo e por defendermos o valor da vida. Sabemos que o viver traz suas amarguras, pois como bem nos alerta a máxima do evangelho em Eclesiastes “A felicidade não é deste mundo”. (1) Mas seria esta, a melhor solução?

 

Segundo Manoel Philomeno de Miranda, o suicídio é um terrível mal da humanidade, uma doença complexa e de solução trágica, sendo necessário combatê-lo por todos os homens através da compreensão, diálogo e conscientização, tornando-se assim uma responsabilidade social. 

 

Conscientizar as criaturas a respeito das consequências do ato, no Além-Túmulo, das dores que maceram os familiares e do ultraje às Leis Divinas, é método salutar para diminuir a incidência dessa solução insolvável. Dialogar com bondade e paciência com as pessoas que têm propensão para o suicídio; sugerir-lhes dar-se um pouco mais de tempo, enquanto o problema altera a sua configuração; evitar oferecer bases ilusórias para esperanças fugazes que o tempo desmancha; estimular a valorização pessoal; acender uma luz no túnel do seu desespero, entre outros recursos, constituem terapia preventiva que se fortalecerá no exercício da oração, das leituras otimistas, espirituais, nos passes e no uso da água fluidificada. (2)

 

Ainda segundo este mesmo autor, “o suicídio é o mais grosseiro vestígio da fragilidade humana, que ata o homem ao primarismo de que se deve libertar” (3). Muitos então, devem se perguntar: de onde vem esta fragilidade? E muito bem nos esclarece a espiritualidade nas questões 943 e 946 de O livro dos espíritos:

 

943 - De onde vem o desgosto pela Vida que se apodera de certos indivíduos sem motivos que o justifiquem?

 

Efeito da ociosidade, da falta de fé e, muitas vezes, da saciedade. Para aquele que exerce suas faculdades com fim útil e de acordo com as suas aptidões naturais, o trabalho nada tem de árido e a Vida se escoa com mais rapidez. Suporta as suas vicissitudes com tanto mais paciência e resignação, quanto mais age tendo em vista a felicidade mais sólida e mais durável que o espera.

 

946. Que pensar do suicida que tem por fim escapar às misérias e às decepções deste mundo?

 

Pobres Espíritos que não tiveram a coragem de suportar as misérias da existência! Deus ajuda aos que sofrem e não aos que não têm forças nem coragem. As tribulações da vida são provas ou expiações. Felizes os que as suportam sem se queixar, porque serão recompensados! Infelizes, ao contrário, os que esperam uma saída nisso que, na sua impiedade, chamam de sorte ou acaso! A sorte ou o acaso, para me servir da sua linguagem, podem de fato favorecê-los por um instante, mas somente para lhes fazer sentir mais tarde, e de maneira mais cruel, o vazio de suas palavras. (4)

 

Temos o conhecimento que o estado psíquico que antecede o suicídio, pode se originar organicamente e/ou espiritualmente, mas não podemos nos esquecer que tudo se inicia pela ênfase que damos aos nossos problemas, alimentando-os com pensamentos e atitudes negativas, ao invés de reagir em busca de solucioná-los. Isso nos faz refletir que o que nos falta, grande parte das vezes, é perseverança e bom ânimo nas lutas e sacrifícios diários.

 

Allan Kardec traz em O Evangelho Segundo o Espiritismo, que “a incredulidade, a simples dúvida sobre o futuro, as ideias materialistas, numa palavra, são os maiores incitantes ao suicídio: produzem a covardia moral.” (5) Por isso, a importância de buscarmos ajuda tanto espiritual quanto clínica e acima de tudo o conhecimento das Leis Divinas e suas consequências diante das nossas falhas, pois somos seres muito imperfeitos ainda, mas que devemos buscar melhorar-nos a cada novo amanhecer. É o que espera de nós, a Divindade, através do pensamento de Emmanuel:

 

Quando a ideia de suicídio, porventura, te assome à cabeça, reflete, antes de tudo, na infinita bondade de Deus, que te instalou na residência planetária, solidamente estruturada, a fim de sustentar-te a segurança no Espaço Cósmico. Em seguida, ora, pedindo socorro aos Mensageiros da Providência Divina. (6)

 

 

Muita luz e paz a todos!

 

Elena Maria Garcia Rezende Leão

[email protected]

Centro Espírita Bezerra de Menezes

Rua Olegário Rabelo, nº 455, Bairro Brasília, Arcos/MG

Reuniões Públicas às terças feiras às 20hs e às quintas feiras às 19:30hs.

Aos sábados: Evangelização infantil e Escola de pais às 09:30hs; às 17h Campanha do Quilo e às 18:30hs Mocidade espírita.

 

 

Referências:

  1. Eclesiastes, Capitulo 2, versículos 4 a 11.
  2. FRANCO, Divaldo Pereira. Temas da vida e da morte. Cap. 1.
  3. FRANCO, Divaldo Pereira. Temas da vida e da morte. Cap. 1.
  4. KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos. Questões 943 e 946.
  5. KARDEC, Allan. O Evangelho Segundo o espiritismo. Cap. V. it.16.
  6. XAVIER, Francisco Cândido. Pronto-socorro. Cap. 30.

Textos Extraídos do Livreto – Suicídio da FEB - Copyright © by FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA – FEB 1ª edição – 1ª impressão – 12 mil exemplares – 10/201

Fonte da imagem: Disponível em https://pixabay.com/   Acesso em 25/09/2022.

                                   

Colunista
CENTRO ESPÍRITA BEZERRA DE MENEZES

Rua Olegário Rabelo, nº 455, Bairro Brasília, Arcos/MG

VEJA TAMBÉM

Principais ocorrências policiais dos últimos dias

O fim de semana foi marcado pelo registro de 04 ocorrências de destaque em Arcos.

10h52 17 Junho 2024