• 17/06/2024
13 Setembro 2022 às 09h56

...Êxito

             “Muitos companheiros perdem recurso, oportunidade, tempo e força na preocupação desmedida em torno do êxito. Entretanto, o conquistador do maior êxito de todos os tempos não se ausentou do mundo como quem triunfara...” (1)                 

 

O que seria êxito e o que seria fracasso na visão do ser encarnado no mundo? Por certo, inúmeras seriam as respostas a tal indagação, dada a variada gama de interesses que guiam o homem nas sociedades terrenas da atualidade. Há os que concentram esforços nas empreitadas comerciais a que se dedicam. Uns gastam as melhores energias na disputa pelos mais relevantes títulos acadêmicos. Outros seguem à risca os roteiros, nem sempre confiáveis, para a escalada social que lhes tornam objeto do desejo. Todos, porém, focam seus objetivos na esfera limitada das realizações materiais, guardando como referência de sucesso, a admiração e os aplausos, dos que como eles, não valorizam a vida além do ligeiro período entre a maternidade e a funerária.

 

Embora todas as conquistas honestas dignifiquem a vida, faz-se necessário entendê-las além do limite encerrado entre o berço e o túmulo. Fora desse estreito espaço de tempo, o espírito imortal tem contato com outra realidade, onde a ideia de êxito e fracasso se assenta sobre bases que, na maioria dos casos, surpreende-lhe negativamente a razão.

 

Como nos lembra o benfeitor Emmanuel no início desse texto: ter reconhecido sucesso nesse mundo, nem sempre significa êxito evolutivo alcançado!

 

Mergulhado nas dificuldades do cotidiano e com a visão limitada pelos interesses imediatos, o ser encarnado, de modo geral, tem se dedicado demasiadamente em alcançar o sucesso. Nessa busca desmedida, muitos são os que tendo escolhido assumir a posição de pais, transferem a educação e segurança afetiva dos filhos para profissionais remunerados, que muitas vezes não tem envolvimento emocional ou interesse pessoal por eles.

 

Entramos nessa corrida imaginária e equivocada para vencermos, sem medir esforços e sem refletirmos no ‘para quê?’. Na busca do êxito no mundo, temos nos afastado perigosamente da ética e nos distanciado cada vez mais das nossas melhores características de humanidade.

 

O dono da empresa aérea quer conseguir mais lucro e para enriquecer mais rapidamente, economiza na manutenção dos aviões. Num voo qualquer, uma pane tira a vida de dezenas de pessoas. O presidente da mineradora quer se destacar como administrador aos olhos dos acionistas, começa por aceitar pequenas irregularidades, contorna de maneira ilícita algumas normas de segurança. Um dia as consequências do desejo de destaque a qualquer custo, devasta a natureza, destrói a vida e os sonhos de centenas de seres humanos. Os políticos e administradores públicos relegam a planos secundários os interesses primordiais das coletividades a quem deviam servir e roubam o dinheiro da merenda escolar para comprar carros e casas de alto luxo.

 

O mundo convencionou que sucesso é o triunfo nos negócios, nas profissões, nas posições sociais, com destaque da personalidade, aplausos e honrarias. Mas aquele tido pela sociedade como uma pessoa de sucesso não é, necessariamente, uma pessoa feliz. Esse é um modelo que não tem favorecido o homem na sua caminhada terrestre, e nós estamos demorando muito para perceber isso!

 

Todavia, há outro êxito, efetivo e duradouro, que os cristãos modernos têm desprezado sistematicamente: é a vitória sobre si mesmo e sobre as suas más tendências. Nessa vitória, é imprescindível que saibamos diferenciar aquilo que realmente importa, do que realmente tem valor. Esse é um processo solitário. Ninguém além de você toma conhecimento. É silencioso, não traz na maioria das vezes, nenhum prêmio ou reconhecimento.

 

O indivíduo que experimenta o sucesso interior, conquista equilíbrio, sente-se vencedor por dominar a si mesmo. Sua realização não depende exclusivamente de fortunas, nem de títulos, nem de posição de destaque social; mas requer de cada um, fidelidade ao roteiro do Cristo. E não nos enganemos; não é nada fácil! É sem dúvida o maior desafio na trajetória do espírito humano!

 

Guimarães Rosa escreveu: “viver é perigoso”. Tomo a liberdade de completar: Viver com Cristo é muito mais! “Afinal, de que vale ao homem ganhar o mundo inteiro e perder sua alma?” (2)

 

Termino essa despretensiosa reflexão com o conselho amoroso do benfeitor Emmanuel:

 

Sirvamos ao bem, simplificando o caminho, de vez que o êxito real é a vitória de todos, convictos de que não precisamos gastar as possibilidades da existência em expectativa e tensão, porquanto, se estivermos em Cristo, tudo quanto de que necessitamos será feito em nosso favor, no momento oportuno. (3)

 

 

Abraço fraternal!!    

                                                                                                    

Joel Bazílio

([email protected])

 

 

Centro Espírita Bezerra de Menezes

Rua Olegário Rabelo, nº 455, Bairro Brasília, Arcos/MG

Reuniões Públicas às terças feiras às 20hs e às quintas feiras às 19:30hs.

Aos sábados: Evangelização infantil e Escola de pais às 09:30hs; às 17h Campanha do Quilo e às 18:30hs Mocidade espírita.

 

 

Referências:

  1. XAVIER, Chico. Palavras de Vida Eterna.
  2. Marcos 8:36
  3. XAVIER, Chico. Palavras de Vida Eterna.

Fonte da imagem: Disponível em https://pixabay.com/  Acesso em 12/09/2022.

 

 

 

Colunista
CENTRO ESPÍRITA BEZERRA DE MENEZES

Rua Olegário Rabelo, nº 455, Bairro Brasília, Arcos/MG

VEJA TAMBÉM

Principais ocorrências policiais dos últimos dias

O fim de semana foi marcado pelo registro de 04 ocorrências de destaque em Arcos.

10h52 17 Junho 2024