• 17/05/2022
06 Maio 2022 às 11h45

O Mais Notável Arcoense Ausente (parte 4)

Academia Brasileira de Letras premia Francisco Fernandes

Dicionarista


     A idéia de publicar um dicionário de verbos e regimes não foi premeditada. À medida que seu autor sentia dificuldade de regência de verbo, procurava resolvê-la e, ao mesmo tempo, anotava em tiras de papel. Aprofundando em seus estudos, coligiu número considerável de notas, até que foi estimulado pelo tal sentido intelectual que desperta na pessoa aquela vivacidade de muita distância das coisas.


     De posse de vinte e cinco contos de réis e mais a ajuda moral do Prof. Aires da Mata Machado Filho, partiu Fernandes para a execução de sua obra.


     Dicionalizar as regências foi a meta que se propôs o eminente filólogo brasileiro. Tal foi o sucesso alcançado pelo primeiro trabalho, “Dicionário de verbos e regimes”, que o segundo dicionário, o de substantivos e adjetivos já encontrou campo inteiramente favorável.


      "O DIA" de Curitiba faz a seguinte apresentação do livro em seu Estado: "O trabalho está vazado nos moldes do Dicionário de Verbos e Regimes, também de autoria do sábio Professor mineiro e que tanto êxito alcançou não só no Brasil, onde mereceu um prêmio da nossa alta instituição cultural – a Academia Brasileira de Letras, como em Portugal. Não obstante tratar-se de livro de caráter didático, imprimiu-lhe Francisco Fernandes um cunho inteiramente pessoal, que aliás é a característica de toda a obra do insigne mestre.


     Como muito bem disse a douta Comissão da Academia Brasileira de Letras “a crítica nacional e o favor público consagraram essa obra”, e, então, quando Francisco Fernandes não pôde mais aumentar seu patrimônio literário, porque faleceu, seu acervo estava assim: obras:


     Dicionário de Verbos e Regimes, 4ª edição – 13ª impressão.
     Dicionário de Sinônimos e Antônimos – da Língua Portuguêsa.
     Dicionário Brasileiro Contemporâneo.
     Dicionário de Regimes de Substantivos e Adjetivos. 
     Dicionário da Língua Portuguesa, 2 volumes.
     Dicionário Gramatical da Língua Portuguesa. 
    Grande Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa, 5 volumes (em preparo)    

 

Prêmio da Academia


     Os prêmios da Academia são de função cultural. A distinção conferida pela Academia Brasileira de Letras à melhor obra sobre a Língua Portuguesa – chama-se – “Prêmio Francisco Alves”. Além de ser a mais disputada classificação cultural do Brasil – Prêmio da Academia Brasileira de Letras – é galardão cujo selo, daquele sodalício, diz tudo... A ele se socorrem todos os homens de letras, na justa esperança de adquirir para suas obras os elogios conferidos pelos primazes das Letras nacionais. Francisco Fernandes conquistou-o com o Dicionário de Verbos e Regimes.


     Prêmio Francisco Alves.
     Obras sobre a Língua Portuguesa.


     Parecer da Comissão Julgadora:

Cumpre destacar o Dicionário de Verbos e Regimes do Sr. Francisco Fernandes, com mais de 10.000 verbos portugueses em suas diversas acepções e regências trabalho de real importância e utilidade para os estudos do idioma, que nele encontram guia seguro através das dificuldades inumeráveis que a matéria apresenta. É uma obra magnífica (escreveu o nosso eminente colega Sr. Alceu de Amoroso Lima) já hoje indispensável na biblioteca de qualquer escritor. “A crítica nacional e o favor público consagraram essa obra, facultando-lhe em três anos outras tantas edições, melhoradas e aumentadas. A Academia não fará mais do que sancionar esse voto, concedendo ao Dicionário do Sr. Francisco Fernandes o primeiro prêmio do concurso.

 

     É este o parecer da Comissão.
     Rodolfo Garcia, Relator.
     Serafim Leite
     Austrogésilo de Athayde

 

     Logo no advento do primeiro dicionário, valeu-lhe a unanimidade da crônica literária no que havia de mais idôneo no Brasil.


     A começar pela apresentação de Aires da Mata Machado Filho que foi carta de introdução ao cenário da crônica literária, com “arrojado e benfazejo empreendimento.”


     Júlio Nogueira enalteceu de maneira eloqüente a obra: “ministracopiosa documentação, o que revela o cuidado e honestidade com que se desobrigou de sua tarefa, digna de todos os aplausos.”


     Maria Matos concluiu seu parecer, assim – “Trata-se de obra de pesquisa extraordinariamente útil e interessante, reveladora de um esforço digno de todo apreço.


     A imprensa brasileira, através de seus grandes diários manifestou-se de maneira a mais elogiosa: Diário de Notícias, Minas Gerais, Revista da Semana, Jornal do Comércio e muitos outros periódicos, sempre, tirando a mesma conclusão elogiosa.


     Está seu nome ligado a inúmeras entidades literárias em Formiga e Arcos. Bibliotecas – são muitas, as que têm como patrono. Sei que existe a idéia de imortalizá-lo no bronze, em sua terra, havendo para tanto troca de opinião e, até mesmo, movimento nesse sentido. Deus o permita.

 

Leopoldo Corrêa – Da Academia Municipalista de Letras de Minas Gerais. Do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais. Da Academia de Letras de S. João d’El Rei.

 

                                                                                                                                                Geraldo Ló

Colunista
Geraldo Ló

VEJA TAMBÉM

Associação vence equipe do Vila e respira na Copa Regional Sub25

O Vila até tentava chegar, mas parava no bom goleiro Pezinho, que fazia boas defesas

08h00 16 Maio 2022
Domingo tem clássico pela Copa Regional Sub25 de futebol em Arcos

A partida é valida pela quarta rodada da primeira fase da competição

15h30 14 Maio 2022