Notícia

Região 13 Janeiro 2022 Por G1 Centro-Oeste

Após registro de acidente em Furnas, Parque Nacional da Serra da Canastra fecha Portaria I e limita acesso de turistas


Compartilhe:

A chefia do Parque Nacional da Serra da Canastra fechou, nesta terça-feira (11), o acesso à unidade de conservação pela Portaria I em São Roque de Minas e limitou as atividades turísticas na região até que passe o período de chuvas intensas. A medida, segundo Carlos Henrique Bernardes, visa promover segurança dos turistas no local.

 

Também está temporariamente suspenso o acesso aos atrativos "Curral de Pedras", cachoeira "Rasga Tanga", o acesso à "Trilha Difícil" que liga a parte baixa à parte alta do parque e a trilha "Saint-Hilaire".

 

Segundo Carlos Henrique, a equipe do Instituto Chico Mendes de Preservação da Biodiversidade (ICMbio) já estudava o fechamento das áreas no período de chuva, mas, diante do acidente em Furnas, no município de Capitólioonde 10 pessoas morreram após a queda de uma rocha, o alerta quanto à segurança de quem visita o local aumentou.

 

Funcionamento seguia normal até semana passada

Até semana passada, a chefia do parque ainda não havia definido pela limitação de acesso ao parque e o local seguia aberto normalmente para visitação de turistas. No dia 2 de janeiro, a nascente histórica do Rio São Francisco, que fica no acesso da portaria I por São Roque de Minas, transbordou devido ao volume de chuvas registrado.

 

O fato foi comemorado pelos moradores da região, já que em 2014 essa mesma nascente secou em período severo de crise hídrica.

 

Como orientou o chefe do parque, Carlos Henrique Bernardes, a visitação só foi limitada na Portaria I. As condições das estradas de acesso e lamaçal formado na entrada deste acesso, contribuíram para a decisão.

 

Entretanto, o acesso pode ser feito ainda pelas portarias II, II e IV, mas é necessário que os turistas tenham cautela. O acesso deve ser feito com veículo adequado e também deve haver cuidado na permanência nas cachoeiras, já que neste período são comuns ocorrências de cabeça d'água, que é a formação repentina de grande volume de água nas cabeceiras.

 

Praia do Rio São Francisco na Serra da Canastra em  São Roque de Minas; imagem de arquivo — Foto: Heber Antônio/Divulgação

Praia do Rio São Francisco na Serra da Canastra em São Roque de Minas; imagem de arquivo — Foto: Heber Antônio/Divulgação

 

Nascente transbordou

 

Após as chuvas registradas no fim de 2021 e no início de 2022, a nascente histórica do Rio São Francisco transbordou no último dia 2. O vídeo abaixo, que circulou nas redes sociais, mostra a água passando por cima da ponte sobre o rio. O cenário só ficou assim por cerca de uma hora.

 

Segundo Carlos Henrique Bernardes na ocasião, desde setembro as nascentes da região, inclusive a nascente histórica do Rio São Francisco, estão em níveis elevados. Para ele, é natural neste período de intensas chuvas que o nível da água suba repentinamente.

 

"Tendo em vista as chuvas diárias e considerando que toda região é uma grande área de recarga, é natural que em uma época como essa, de grande pluviosidade, ocorram esses aumentos repentinos no volume de água. Obviamente, as nascentes estão com bastante água e quando chove muito em pouco tempo ocorre essa subida do volume de água, não quer dizer que esse volume visto no vídeo se manteve. Foi repentino e assim que terminou a chuva a água abaixou. Mas, felizmente, estamos com um bom volume de água nas nascentes da nossa região, inclusive na nascente histórica do São Francisco", disse o diretor do parque Carlos Henrique.

Nascente histórica do Rio São Francisco transbordou nesta terça-feira (4) em São Roque de Minasnas — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Nascente histórica do Rio São Francisco transbordou nesta terça-feira (4) em São Roque de Minasnas — Foto: Reprodução/Redes Sociais

 

FONTE: G1 Centro-Oeste

COMENTÁRIOS