Notícia

Leia o artigo 16 Junho 2020

Tratamento de canal


Compartilhe:

   O tratamento de canal consiste na remoção da polpa dental, uma estrutura viva que contém, entre outros elementos, nervos e vasos sanguíneos.

 

   De modo geral, o tratamento de canal é indicado em duas situações:

1) Quando a polpa vital se apresenta inflamada, com dor espontânea (pulpite) em decorrência da exposição da dentina por cárie profunda.

2) Quando a polpa perde a vitalidade (polpa necrosada) e compromete a estrutura que envolve a raiz.

 

   O tratamento de canal não enfraquece os dentes. O que causa enfraquecimento dos dentes é a perda da estrutura dental causada geralmente pela cárie que, por sua vez, leva o dente a necessitar do tratamento de canal.

 

    Se o profissional tiver experiência e habilidade suficientes, pode realizar o tratamento de canal em apenas uma sessão, especialmente se o dente não estiver infectado. Na presença de pus, hemorragia persistente, tumefação ou em retratamentos e casos especiais, os tratamentos de canal podem ser realizados em sessões múltiplas.

 

    Quando o tratamento de canal anterior não foi bem executado por algum motivo (dificuldades anatômicas, raízes com curvaturas acentuadas, canais calcificados), ou quando o dente não foi devidamente restaurado, pode ocorrer a recontaminação do canal por bactérias, levando a necessidade do retratamento.

 

    O dente com canal tratado pode voltar a doer algum dia. Mesmo que o tratamento de canal tenha sido bem executado, o dente pode voltar a doer se não receber restauração definitiva ou se ocorrer uma cárie profunda permitindo a recontaminação do canal.

 

    Na pulpite reversível a dor é sempre provocada, de curta duração e localizada. Estabelecido o diagnóstico de pulpite reversível, o tratamento consiste na remoção da causa que a defragou. O prognóstico é favorável.

 

    Na fase de transição as dores se tornam incômodas e o paciente necessita do emprego de analgésicos para eliminá-las. As dores são intermitentes, isto é, comportam intervalos assintomáticos.

 

    O encurtamento destes intervalos e a ineficácia cada vez mais acentuada dos analgésicos indicam que a polpa vai esgotando sua capacidade defensiva e que está iminente o estabelecimento da pulpite aguda. Nesta situação o problema é irreversível e há necessidade de se fazer o tratamento de canal.

 

    O tratamento de canal é a opção ideal para salvar um dente cujo nervo (polpa) ficou comprometido e que, de outra forma, teria que ser extraído. É feito por um endodontista (especialista em tratamento de canal) e consiste na remoção da polpa infeccionada, danificada ou morta, e no preenchimento da cavidade com material obturador.

 

    Sinais e sintomas que indicam a necessidade de tratamento de canal:

- abscesso na gengiva

- dor aguda e latejante no dente

- inchaço e dor ao toque

- dor constante

- cárie profunda que atingiu a polpa do dente (nem sempre sente-se dor)

- dano ou trauma ao dente.

    A primeira etapa do tratamento consiste em anestesiar a área a ser trabalhada. Logo em seguida, é feita uma abertura na parte superior do dente. A polpa infeccionada, danificada ou morta, é removida.

 

    Antes de serem preenchidas com material obturador, o espaço pulpar e os canais presentes nas raízes são esvaziados, alargados e limados.

 

    No caso de ser necessário mais de uma visita ao consultório, o dente será vedado e preenchido com uma restauração temporária. Na próxima visita, a restauração temporária será removida e a cavidade da polpa e o canal serão preenchidos com uma restauração permanente.

 

    A etapa final consiste na colocação de uma restauração sobre o dente para protegê-lo, conferir-lhe uma aparência natural e restaurar o seu formato e funções normais.

 

    Após o tratamento de canal geralmente o dente fica sensível por alguns dias. À medida que a inflamação for diminuindo e o dente começar a se recuperar, os sintomas irão desaparecer.

 

    Quando tratado adequadamente, os dentes restaurados podem durar por toda a vida. Uma boa higiene oral e visitas regulares ao dentista garantirão a longevidade do seu tratamento de canal.

 

Referência: Odontologika.

 

Dr. José Donizetti Vieira

Cirurgião – Dentista

CROMG: 9475

Especialista em Odontologia Restauradora e Preventiva

Rua Donato Rocha, 346 – Centro - Arcos (MG)

Fone: (37) 3351-1086


Dr. José Donizetti Vieira

Cirurgião – Dentista
CROMG: 9475
Especialista em Odontologia Restauradora e Preventiva
Rua Donato Rocha, 346 – Centro - Arcos (MG)
Fone: (37) 3351-1086

COMENTÁRIOS

Veja outras notícias