Notícia

Feira Nacional de Pirotecnia fomenta negócios e dá show em inovação


Compartilhe:

Chegou ao fim a 1ª edição da FENAPI, Feira Nacional da Pirotecnia, realizada em Santo Antônio do Monte. O evento contou com espetáculos piromusicais, oportunidades de negócios, palestras, workshops, networking, shows artísticos, entre outros.

 

A programação durou três dias, mas seus efeitos prometem movimentar o mercado pirotécnico brasileiro e impulsionar novas exportações. Santo Antônio do Monte mostrou porque é a Capital Nacional dos Fogos de artifício recebendo participantes dos quatro cantos do Brasil e de várias partes do mundo, que ficaram admirados com a alta estrutura do evento. 

 

Mais de 20 mil pessoas passaram pelo Parque de Exposições. A feira também teve como objetivo proporcionar diversão aos trabalhadores do setor de pirotecnia e a população em geral. Por isso, para os shows não foram vendidos ingressos e sim pedidos alimentos. Ao todo, mais de 42 toneladas de mantimentos foram arrecadados. Eles serão distribuídos pela prefeitura municipal para creches locais e entidades filantrópicas. 

 

Encerrada nesse domingo (20), a expectativa dos empresários do polo pirotécnico da região de Santo Antônio do Monte é a partir das experiências adquiridas na feira gerar um impacto positivo nas estratégias de mercado.

 

Segundo Mateus Patusco, gerente comercial de uma das empresas presentes no salão de negócios, o saldo da FENAPI foi muito positivo. Ele não só fechou transações comerciais durante o evento, mas entregou os primeiros produtos vendidos para um cliente do Espírito Santo que passou pelo stand.  

 

A FENAPI ainda atraiu compradores internacionais. O polo é o maior produtor de artefatos pirotécnicos da América Latina e segundo maior do mundo. De acordo com a consulesa da Rússia, Carolina Bernardes, Santo Antônio do Monte tem um futuro promissor nas exportações. Na próxima feira, ela pretende retornar ao evento com empreendedores em missão de negócios.   

 

O americano Tommy Gasglow reforça as avaliações de Carolina. Além de ter gostado do que viu na feira, Tommy afirmou que vai mostrar aos colegas, que atuam no setor de pirotecnia, o quanto os produtos de Santo Antônio do Monte são interessantes.  


“Vocês devem se orgulhar do que têm aqui. Além da qualidade, os preços são competitivos, conseguem rivalizar bem com os valores da China”, disse citando o único país à frente do polo de Santo Antônio do Monte em produção de artefatos pirotécnicos no mundo. 

 

Shows piromusicais de padrão internacional 

Os céus de Santo Antônio do Monte receberam, nas três noites de evento, apresentações piromusicais, nos quais os produtos pirotécnicos utilizados são harmonizados com a música e o show é moldado entre os fogos e a melodia.


Na primeira noite, o espetáculo foi 100% montense. Marcelo Oliveira, empresário renomado na área de shows pirotécnicos e morador de  Santo Antônio do Monte, elaborou a apresentação com produtos exclusivamente da cidade. O nome dele entrou para a história como o responsável pelo primeiro piromusical do Centro-Oeste de Minas Gerais. A prata da casa já tem em seu portfólio grandes eventos, como o Réveillon de Salvador.

De acordo com Marcelo Kokote, à frente do espetáculo piromusical de sábado, a apresentação teve como objetivo emocionar o público. O profissional, que tem no currículo o Réveillon de Copacabana, o Rock in Rio, o Natal Luz de Gramado, além de apresentações fora do país, afirmou que é uma honra trazer o espetáculo piromusical para a “Terra da Pirotecnia”. 

Ele contou que já visitou Santo Antônio do Monte várias vezes e usa  fogos do polo nas suas apresentações. Mas é diferente fazer o espetáculo na cidade, segundo afirma.
“Santo Antônio do Monte merecia um show de padrão internacional”, disse. 

Já os responsáveis por fechar a feira, os especialistas Leonardo Gatti e Diego Lima, investiram em ângulos pouco vistos em espetáculos piromusicais. Uma música autoral integrou o espetáculo e um texto foi declamado em tom de homenagem à pirotecnia de Santo Antônio do Monte, que emocionou principalmente a população local. 

 

Sertanejos levantaram o público

As três noites de FENAPI foram marcadas por shows sertanejos com o local do evento lotado. Na abertura, Felipe Araújo cantou seus hits e destacou que os fogos usados por ele são de Samonte. Ele ainda completou:

“Sem os fogos, os shows não teriam a mesma emoção”. 

Ainda afirmou, em entrevista à equipe de cobertura oficial, que sente-se muito feliz por abrir a grade de shows da feira. 

“Tenho certeza de que daqui a muitos anos, quando a feira for tradicional, vão se lembrar de mim”. 

Na segunda noite, as emoções começaram antes de Bruno e Barreto cantarem a primeira música. O pequeno Itamar Araújo, de 4 anos, conheceu a dupla. Esse momento mágico para a criança foi o resultado de uma campanha na internet para que ele conseguisse realizar o sonho de conhecer seus ídolos. Quando os sertanejos subiram no palco, o público curtiu todas as músicas da dupla, mas a plateia cantou com ainda mais entusiasmo o refrão “Farra, pinga e foguete”. 

Para fechar o evento com chave de ouro, aconteceu um show animadíssimo de Edson e Hudson, que afirmaram ser prazer de voltar à cidade depois de muitos anos. Os cantores já participaram da antiga Festa do Foguete e disseram sentirem-se honrados estarem em Santo Antônio do Monte no evento que é a evolução da antiga festividade. O cantor mirim Vinícius Araújo deu uma canja no palco e declarou estar realizando um sonho. Edson afirmou ter certeza de que o pequenino artista fará sucesso. 

 

Expectativa para 2ª FENAPI

De acordo com os expositores, a Fenapi superou as expectativas. Por isso, eles aguardam a 2ª edição da festa e afirmam que têm certeza que o evento será ainda melhor. Os organizadores,  ainda não têm detalhes sobre a próxima FENAPI, mas já trabalham com a avaliação da festa para tornar a feira uma tradição do setor pirotécnico. 

O evento foi uma realização do Sindicato das Indústrias de Explosivos no Estado de Minas Gerais (SINDIEMG) em parceria com a Associação Máster dos Empresários da Pirotecnia (AME Pirotecnia).

COMENTÁRIOS

Veja outras notícias