Notícia

Arcos 06 Maio 2019 Por Prefeitura de Arcos

Mais de 30 mil pessoas foram transportadas em 2018 para realização de consultas, exames e cirurgias

Dados divulgados pela Secretaria de Saúde demonstram a importância deste serviço para a população


Compartilhe:

A Secretaria Municipal de Saúde, por meio do Setor de Transportes, divulgou na última Plenária de Saúde, realizada no Teatro da Casa de Cultura, no dia 24 de abril, os dados do quantitativo de pessoas que são transportadas para a capital e outras cidades do centro-oeste mineiro para a realização de consultas, exames e cirurgias. Somente em 2018, trinta mil e trezentos e quatorze (30.314) usuários de saúde do município foram atendidos por este serviço de assistência social, com um média mensal de dois mil e quinhentos e vinte e seis (2.526), e, em 2017, vinte e nove mil e oitocentos e vinte e sete (29.827).

Segundo mais informações da Secretaria de Saúde, além de Belo Horizonte, há uma procura significativa por consultas, exames e cirurgias, em cidades do entorno, dentre elas: Divinópolis - para consultas gerais, oncológicas, e retornos de bucomaxilo e de ortopedia; Campo Belo – para exame de colonoscopia; Bambuí – para tratamento de feridas; Formiga – para consultas gerais e hemodiálise; Lagoa da Prata – para consultas; e Santo Antônio do Monte – para consultas no Hospital da Mulher e cirurgias de varizes; Capital - exames, cirurgias e consultas especializadas de agendamento pelo Sistema Único de Saúde e consultas oftalmológicas; além de transportar pacientes em tratamento no Hospital do Câncer, em Barretos - SP.

O encarregado de Segurança, Jadir Moreira Silva, que utiliza o transporte para a realização de tratamento, ressalta a importância de valorização dos profissionais que realizam este serviço. “Este é um serviço maravilhoso e fico muito feliz por ser assistido com tanto respeito, pois sempre fui muito bem atendido e os motoristas que nos levam são exemplares, como sempre nos deixa no local onde vamos realizar a consulta. Por isso ressalto, que este tipo de serviço público não deve parar, principalmente porque tem pessoas que não têm condições de arcar com estas despesas, ” enfatizou.

Confira nos gráficos o número de pessoas transportadas para as cidades mais procuradas - para a realização de exames, consultas e cirurgias.

COMENTÁRIOS

Veja outras notícias