• 21/05/2024
22 Janeiro 2019 às 00h00
Atualizada em 04/05/2020 às 04h47

Você tem a pálpebra caída?

Você tem a pálpebra caída? Saiba, então, que já é oferecida uma nova técnica sem cortes para solucionar este problema: Blefaroplastia sem cortes. O objetivo é justamente tratar a flacidez palpebral de maneira não invasiva e não cirúrgica.


O excesso de pele nas pálpebras pode levar tanto a queixas estéticas como funcionais, a pele da região é a mais fina do corpo e, com o seu constante movimento, é uma das primeiras regiões a evidenciar os sinais de envelhecimento. Entre suas causas podemos citar o próprio envelhecimento, edema palpebral recorrente e condições de estresse oxidativo, como o tabagismo, bebidas alcoólicas e exposição solar excessiva.

 

A Blefaroplastia trata a flacidez cutânea da região por meio da eletrofulguração. Busca-se, assim, a reestruturação das fibras elásticas (fibras encontradas em locais que requerem flexibilidade) e do colágeno (proteína fundamental para a saúde da pele), promovendo também a remoção do excesso de pele e de gordura das pálpebras.


Os benefícios consistem no rejuvenescimento e na melhoria da expressão facial, bem como na redução da sensação de peso e do cansaço nas pálpebras. Para iniciar o tratamento, é feita a aplicação do anestésico tópico no paciente, a marcação do local a ser tratado e a assepsia, procedimento para impedir a introdução de germes na região. 


O procedimento é super rápido, de 30 a 40 minutos. Depois disso, o paciente pode retomar as suas atividades normalmente, apenas sobre alguns cuidados especiais, como o uso do filtro solar. Os resultados já podem ser notados na primeira sessão, e o número de sessões é muito relativo, pois irá depender da do grau de flacidez palpebral.

.
Colunista
Érica Egídio

Esteticista, Cosmetologia e Micropigmentadora.

Espaço Estética 

Rua Formiga, Nº 301 – Centro

(37) 3351- 3057 ou (37) 9.9871-7010

VEJA TAMBÉM

Atenção, motorista: passarela da BR 354 será içada neste domingo, por isto, utilize rotas alternativas

A Secretaria de Obras já antecede os pedidos de desculpas pelos transtornos, mas ratifica que eles visam um bem muito maior: a resolução definitiva do problema de segurança para os pedestres na região

16h26 17 Maio 2024