INFORME PUBLICITÁRIO / Informe Publicitário

Relicário marca os 20 anos da carreira de Cláudia Coelho

Na primeira edição do projeto, a fotógrafa homenageia 15 noivas do ano de 2009

    Em 2019 Cláudia Coelho completou 20 anos de carreira e em comemoração preparou uma série de novidades dentre elas, inovou sua identidade visual, desenvolveu novos produtos e serviços para o mercado e disponibilizou do seu acervo de fotos para ser visitado, através de exposições físicas e virtuais da Galeria de Fotos.

 

    O evento de lançamento da Galeria Relicário aconteceu no dia 19 de março, na terça-feira, às 18h no estúdio da fotógrafa Cláudia Coelho e contou com a presença de vários amigos prestigiando cada detalhe da exposição!

 

    Um ambiente confortável, decorado com todo bom gosto e atenção! Fotos de vários pontos da cidade foram enquadradas em monóculos para que os convidados pudessem contemplar os pontos mais famosos de Arcos apreciando a nostalgia do objeto.  

 

    Tivemos o prazer de entrevistar esta renomada fotógrafa que nos contou mais sobre o desenvolvimento do trabalho, confira.

 

Quem é a Fotógrafa Cláudia Coelho de 20 anos atrás e atualmente?

 

    Em vinte anos de profissão houve uma evolução tecnológica grandiosa, que trouxe uma nova forma de trabalhar. Antigamente, a fotografia analógica demandava conhecimentos técnicos acerca de luz, fotometria, abertura, velocidade, entre outros. Atualmente, a fotografia digital traz inúmeros recursos que, aliados à técnica, facilitam muito a execução do trabalho. A demanda por fotografia também era diferente; não se investia tanto como se faz hoje. A comemoração dos 15 anos, por exemplo, era feita nos Bailes de Debutantes, que já nem existem mais; hoje, uma sessão fotográfica tornou-se uma grande produção, com temas e adereços dos mais diversos.

 

    Havia também a técnica de pintura à mão em foto p/b, que eu utilizava bastante, assim como a confecção de fototelas. Tudo isso era muito trabalhoso e demandava um tempo enorme, mas resultava em belos trabalhos. Vez por outra vejo esses trabalhos e ainda gosto deles.

 

    Nestes 20 anos adquiri muita experiência, conquistei muitos amigos e clientes, que gostam do meu trabalho. Isso muito me engrandece, não só profissional, como pessoalmente.

 


Quais suas perspectivas como profissional daqui 20 anos, como se vê?

 

    Tenho hoje 51 anos. Daqui a vinte anos estarei com 71 anos e relembrando toda esta história...rsrsrsrsrs

 

Qual trabalho mais te marcou na carreira?

 

    Acho que trabalhar com eventos, como casamentos, 15 anos, gestação e outros, faz com que todos os trabalhos sejam marcantes, tendo em vista a emoção envolvida naqueles momentos. No entanto, os trabalhos sociais que realizei, entre os quais com o Grupo Corpo Vivo da APAE, com certeza, suscitam lembranças fantásticas de superação, envolvimento e afeto. Eles são realmente EXCEPCIONAIS e estão nas minhas melhores lembranças.

 


Sobre o projeto “Relicário”, conte-nos sobre como foi a comemoração.

 

    O Projeto Relicário foi idealizado pela Simone Fernandes. Acho que a ideia foi muito pertinente, pois tenho um acervo imenso; criou-se a possibilidade de colocarmos esse acervo para apreciação. Neste primeiro momento, a inspiração veio da brincadeira do Facebook de postar fotos de 10 anos atrás, por isso sorteamos 15 noivas de 2009 (não teríamos espaço para mostrar todas, mas a homenagem se estende também às que não estão na galeria). O evento que fizemos no estúdio para inaugurar essa galeria foi bastante prestigiado, graças a Deus. Estou muito satisfeita com a repercussão positiva e agradeço a todos que nos visitaram e também aos que nos enviaram mensagens e flores.

 

Qual seus planos para o projeto? Irá continuar em exposição?

 

    Programamos novas edições da galeria durante o ano de 2019, com temas diferentes.

 

Você tem alguma história interessante ou curiosa que já tenha vivido fotografando?

 

    Tenho várias. A que me chamou mais atenção foi quando um padrinho de um casamento, durante a festa, para brincar com a noiva, jogou uma bomba no chão. Esta bomba estourou na barra do vestido da noiva, deixando um buraco. Desnecessário dizer os transtornos causados por uma brincadeira tão sem graça! A noiva chorou tanto que quase não foi possível fazer as fotos de festa que estava só começando.

 

Você tem alguma técnica diferente? Que você tenha criado?

 

    Até um tempo atrás eu trabalhava com pintura manual nas fotos e fazia uma pintura em relevo, que era inédita. Tanto que a encadernadora com que eu trabalhava pediu que mandasse fotos com essa pintura para expor na feira de fotografia em São Paulo. Eu enviei e algumas pessoas que visitaram a feira me ligaram, perguntando sobre essa pintura. Hoje não trabalho mais com ela por causa do tempo envolvido e por não encontrar mais o material empregado.

 

 “O fotógrafo tem que saber extrair de cada lugar aquilo que ele oferece e conseguir boas fotos nos locais onde ninguém daria nada por eles!” – Cláudia Coelho

 

 

Veja também

Portal Arcos

jornalismo@portalarcos.com.br

(37)3405-1476

, 0,

Baixe Aplicativo do Portal Arcos