Centro Oeste / Arcos

23 pessoas são denunciadas em face das operações ONIBUS FANTASMA E ROTA ALTERNATIVA

Entre os denunciados estão o ex-prefeito, dois vereadores da atual legislatura, um vereador de Formiga, funcionários públicos e empresários.

Foto: ilustração

Em entrevista ao Jornalista Jaime Pedrosa, o Promotor Eduardo Fantinati falou sobre as duas denúncias que foram protocoladas no tribunal de justiça, no ultimo dia 19. Ouça a entrevista no audio abaixo:

A primeira denuncia diz respeito ao transporte universitário. Foram denunciados doze pessoas: a pregoeira, o ex-prefeito, vários empresários e funcionários da Secretaria de Educação, recebiam ou pagavam propina. Segundo o promotor, os contratos eram renovados com valores superfaturados ou eram aditivados para beneficiar os envolvidos. Segundo ele, dezenas de crimes são atribuídos a essas pessoas.

A segunda denúncia, onde foram denunciadas mais  onze pessoas, foi proposta contra o "núcleo central da organização criminosa. Segundo o promotor, foram denunciados o prefeito da época, pessoas que ocupavam cargos comissionados, e faziam o que fosse necessário para cometer crimes no âmbito da administração". Explica. Segundo Dr. Eduardo esta denuncia se restringe a contratos superfaturados e fraude em processos licitatórios. As áreas da administração envolvidas são: manutenção do terminal rodoviário, de creches e escolas, parque aquático, poliesportivo, limpeza urbana e transporte de carne. Segundo ele, são 8 a 10  processos licitatórios que estão relacionados nesta denúncia. 

Todos estão denunciados por organização criminosa (3 a 10 anos de prisão), cada licitação fraudada pode receber uma pena, e ainda, o crime de corrupção ativa e passiva. Segundo o promotor, o tranporte rural será objeto de uma nova denúncia do ministério público, que deve ser apresentada em janeiro ou fevereiro.

-------------------------------------------------------------------------------------

Nota de esclarecimento - vER. Sandrinho da Looping

Sobre a denúncia em questão, é bom frisar que se trata disso mesmo: uma denúncia. Não há qualquer condenação e, conforme previsto na Constituição Federal, todos são inocentes até que se prove o contrário.

Só tivemos a oportunidade de prestar esclarecimentos ao Ministério Público (MP) na mesma semana em que a ação foi proposta. Importante destacar que há diversos réus e, na época citada, eu não era vereador.

Confiamos que, na Justiça, teremos condições de apresentar toda a documentação e provas cabíveis mostrando que nada há de ilegal da nossa parte nem na licitação que vencemos nem na execução do contrato.

Inclusive, trata-se de um contrato que, quando não deu prejuízo à empresa, apresentou uma margem de lucro muito pequena, praticamente irrisória.

Já prestamos serviços para dezenas de cidades e temos consciência do risco que hoje é contratar com o Poder Público. Em muitos casos, forma-se convicção de culpa antes mesmo que tenhamos condições de prestar esclarecimentos.

Respeitamos o trabalho do Ministério Público, mesmo quando discordamos de suas conclusões. E temos fé na independência e sabedoria do Poder Judiciário. Ao final e demonstrada nossa total inocência, esta ação apenas mostrará a lisura com que trabalhamos.

Forte abraço a todos, um Feliz Natal e um Ano-Novo repleto de amor a todos!

Sandromar Evandro Vieira (Sandrinho da Looping)

Mais fotos desta notícia

Tags Arcos

Veja também

Portal Arcos

jornalismo@portalarcos.com.br

(37)3405-1476

, 0,

Baixe Aplicativo do Portal Arcos