Brasil / Minas Gerais

Minas registra a primeira morte por chikungunya e a sétima por dengue no ano

Foto: James Gathany / Divulgação

Minas Gerais confirmou a primeira morte por febre chikungunya em 2018.  Segundo o Boletim Epidemiológico, da Secretaria de Estado da Saúde, divulgado nesta segunda-feira (30), a vítima é um morador de Coronel Fabriciano, no Vale do Aço.

A morte do homem de 67 anos ocorreu no dia 31 de julho, mas somente agora foram concluídas as análises laboratoriais do caso. Uma outra morte está em investigação. De acordo com a SES, outros 10.404 casos prováveis da doença foram registrados na mesma região. Outra morte também é investigada.

Dengue

As mortes por dengue também aumentaram. Foram dois casos a mais do que a última contagem, feita no dia 16 de julho. Esse ano, sete pessoas perderam a vida em decorrência da doença. No último boletim divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde, as mortes foram registradas em Arcos, Conceição do Pará, Lagoa da Prata e Moema, no Centro-Oete do Estado; Contagem, na Região Metropolitana; e Ituiutaba e Uberaba, no Triângulo. Nove mortes ainda são investigadas. 

Até o momento, o Estado registrou mais de 23 mil casos prováveis de dengue. Já em relação à zika, foram registrados 201 casos prováveis da doença em 2018.

Chikungunya

A febre chikungunya é uma doença parecida com a dengue, causada pelo vírus CHIKV, da família togaviridae. Seu modo de transmissão é pela picada do mosquito aedes aegypti infectado e, menos comumente, pelo mosquito aedes albopictus.

Sintomas

Embora os vírus da febre chikungunya e os da dengue tenham características distintas, os sintomas das duas doenças são semelhantes.
Na fase aguda da chikungunya, a febre é alta, aparece de repente e vem acompanhada de dor de cabeça, mialgia (dor muscular), exantema (erupção na pele), conjuntivite e dor nas articulações (poliartrite). Esse é o sintoma mais característico da enfermidade: dor forte nas articulações, tão forte que chega a impedir os movimentos e pode perdurar por meses depois que a febre vai embora.

Diagnóstico

O diagnóstico depende de uma avaliação clínica cuidadosa e do resultado de alguns exames laboratoriais.

Tratamento

Analgésicos e antitérmicos são indicados para aliviar os sintomas. Manter o doente bem hidratado é medida essencial para a recuperação. Quando a febre desaparece, mas a dor nas articulações persiste, podem ser introduzidos medicamentos anti-inflamatórios e  fisioterapia.

Prevenção

Não existe vacina contra febre chikungunya. A prevenção consiste em adotar medidas simples em casa e arredores que ajudem a combater a proliferação do mosquito transmissor da doença

Tags Minas

Veja também

Portal Arcos

jornalismo@portalarcos.com.br

(37)3405-1476

, 0,

Baixe Aplicativo do Portal Arcos